“Enquanto a política desportiva não alterar, dificilmente voltarei a ser treinador da UD Oliveirense”

Esta é a primeira entrevista do ex-treinador da UD Oliveirense, Pedro Miguel, após ter sido demitido pela SAD do clube em novembro do ano passado.

2

Foi despedido em novembro do ano passado pela SAD da UD Oliveirense após três derrotas seguidas – Sp. Covilhã em casa (1-2), Académica de Coimbra (3-0), fora de portas, e contra o Estoril no Estádio Carlos Osório (1-0) – e desde essa altura que Pedro Miguel tem optado pelo silêncio. Até hoje. O treinador de futebol concedeu uma grande entrevista ao Azeméis.Net. A primeira após a demissão. Não foge a nenhum assunto, e faz algumas revelações.

Publicidade

Diz que não acredita em SAD’s no futebol porque “ninguém dá nada a ninguém, ponto”, e que a principal dificuldade que sentiu foi a comunicação com a administração da SAD. Revela que no dia em que foi despedido “não estava presente nenhum administrador, apenas Kadu Borges [o diretor-desportivo que substituiu Caio Zanardi] e o advogado”, e que a relação começou a ficar difícil depois da derrota, em casa, frente ao Sp. Covilhã.

Quando foi despedido ficou acordado que a SAD continuaria a pagar o ordenado até ao final da época caso não voltasse a treinar outra equipa. Foi isso que aconteceu, e Pedro Miguel diz que tem sido tudo cumprido até ao momento. Mas não foi por falta de oportunidade que o técnico não voltou a trabalhar esta época. Confirma que poucos dias depois de ter sido despedido da UD Oliveirense foi abordado por um clube de Primeira Liga, e revela ainda que foi desafiado por quatro equipas a voltar ao ativo, uma delas insistiu no convite por duas vezes.

Nesta conversa, o ex-técnico da UD Oliveirense volta a reafirmar que nenhum reforço de início da época da UD Oliveirense foi escolhido por si, e faz também uma revelação surpreendente: assumiria candidatura de subida à Primeira Liga caso a espinha dorsal da época 2019/2020 se mantivesse mantido.

Pedro Miguel deixa também claro que dificilmente voltará a ser treinador da UD Oliveirense enquanto a política desportiva da SAD se mantiver, e é provável que na próxima época volte ao trabalho.

Clique no vídeo que se segue para ver, na íntegra, a entrevista que Pedro Miguel concedeu ao Azeméis.Net.

2 COMENTÁRIOS

  1. Se considerei injusta a dispensa de Pedro Miguel, quando ela aconteceu, conforme escrevi então, agora confirmo a minha opinião, já escrita posteriormente neste orgão de comunicação social, de que compete às forças vivas do concelho de Oliveira de Azemeis, em geral, e da própria cidade em particular (e neste caso serão os sócios apoiantes do clube e não da SAD) a decidirem qual o futuro desportivo do União Desportiva Oliveirense. Pedro Miguel, como bom oliveirense que é e por tudo quanto já deu ao clube, está disposto a voltar desde que acabem o que de mal aconteceu e atirou o UDO para um lugar jámais impensável no princípio da época que agora acabou. Oxalá assim suceda para bem do desporto oliveirense.

  2. Pedro Miguel ao seu nível.
    Sereno e pragmático.
    Apaixonado pelo seu clube de sempre é uma referência no futebol português.
    Merece estar noutros patamares e não precisa de se por em bicos de pés para lá chegar.
    Se houvesse muitos mais que lhe seguissem o exemplo, melhor servido estaria o desporto rei.
    Desejo-lhe os maiores sucessos e espero que um dia volte ao nosso Oliveirense, de onde nunca deveria ter saído.
    É sem qualquer dúvida um dos NOSSOS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui