Joaquim Jorge admite referendar remunicipalização da rede da água e saneamento em 2024

0
A Indaqua é a empresa concessionária da rede de água e saneamento no concelho

Em 2024 terá passado um terço do período de concessão da rede de água e saneamento à Indaqua, e haverá a possibilidade de resgatar o contrato entre a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis com a empresa concessionária. Mas o resgate tem um custo substancial, que foi revelado por Joaquim Jorge, enquanto recandidato, à presidência da autarquia oliveirense, tal como pode ler aqui. Joaquim Jorge diz que a remunicipalização da água será uma decisão dos oliveirenses, e admite referendar esta questão.

Publicidade

“Não contem comigo para comprometer o presente dos oliveirense e hipotecar o futuro das gerações vindouras. Acabamos de sair de um plano saneamento financeiro onde estivemos a pagar uma dívida de 32,5 milhoes de euros, durante 12 anos a pagar essa dívida que trouxe atrasos estruturais no nosso concelho e comprometeu o desenvolvimento do nosso concelho. Não contem comigo para passarem por um novo processo que hipoteca o desenvolvimento que nós precisamos (…) Das contas que já fiz esta é uma decisão que caberá aos oliveirenses”, afirmou Joaquim Jorge em entrevista ao Azeméis.Net

Antes de tomar uma decisão efetiva, Joaquim Jorge admite a possibilidade de se realizar um referendo à população para se qual a opção a tomar. “É uma possibilidade. Eu não tenho nenhum problema com referendos, não tenho nenhum problema com auscultação aos oliveirenses. Nós fomos ambiciosos nesse domínio que com a Câmara perto de si quer com o atendimento que fizemos regularmente, eu e os vereadores, aos munícipes”, revela.

“Esta é uma decisão muito difícil, afeta a geração vindoura, por isso é uma decisão que terá de ser tomada com uma grande consensualização”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui