Helga Correia e Carla Rodrigues, do PSD, criticam falta de médicos de família no concelho. Presidente da Câmara diz que esta é uma falsa questão

0

A deputada do PSD Helga Correia acusou recentemente o governo de não cumprir o que está regimentalmente estabelecido, ao deixar o grupo parlamentar do partido sem resposta à pergunta feita em julho último sobre o número de utentes sem médico de família em Oliveira de Azeméis. A parlamentar social democrata subscreve uma nova pergunta, do mesmo teor, lamentando o facto de não existirem médicos de família suficientes para prestarem os cuidados de saúde primários, ao universo de utentes daquele concelho.

Publicidade

“Decorridos mais de dois meses, [o Grupo Parlamentar do PSD] não obteve ainda a exigível resposta governamental, apesar de o Regimento da Assembleia da República estatuir que ‘as perguntas devem ser respondidas no prazo de 30 dias’” – pode ler-se no texto que suporta a pergunta agora dirigida ao Ministério da Saúde.

Recordando que Oliveira de Azeméis tem perto de 70 mil habitantes, “parte dos quais sem médico de família atribuído, situação que acarreta inevitáveis constrangimentos à população do referido concelho”, a deputa oliveirense sublinha os “efeitos nefastos que a pandemia por Covid-19 tem causado na vida e saúde da população“, o que, de acordo com a pergunta, põe “em causa o direito à proteção da saúde, seja pela falta ou adiamento de consultas de cuidados primários, bem como da prescrição de exames de diagnóstico, seja pela falta ou sobrecarga dos meios de pessoal existentes”.

Na última campanha eleitoral, a social-democrata Carla Rodrigues, candidata à Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis pela coligação “Pelas Pessoas”, colocou no seu programa eleitoral a promessa de pugnar para que todos os oliveirenses tivessem direito a um médico de família. Durante a campanha, foi mencionando ter conhecimento de muitas famílias no concelho que não têm direito a médicos de família, avançando mesmo que não tem havido substituição dos médicos de família que têm saído ao longos dos últimos tempos.

Esta foi uma questão que Carla Rodrigues levou a um dos debates autárquicos promovidos pela imprensa regional, e como resposta o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge, reeleito nas últimas eleições autárquicas com maioria absoluta, disse que esta era uma falsa questão, e desmentiu haver necessidade de médicos de família no concelho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui