Grupo Ferpinta já pode avançar para a aquisição do “pavilhão chinês” na Zona Industrial de Ul/Loureiro

O pavilhão industrial na Zona Industrial de Loureiro mandado construir pela empresa chinesa Wuhan Industries está parado há muito tempo. Mas este problema tem os dias contados umas vez que o Grupo Ferpinta demonstrou interesse na sua aquisição. O Azeméis.Net apurou que o empresário Carlos Teixeira teve um papel importante na resolução deste problema.

0
Grupo Ferpinta deverá ser o futuro proprietário deste espaço na Zona Industrial Ul/Loureiro

A empresa oliveirense liderada pelo comendador Fernando Pinto Teixeira poderá vir a ser futura proprietária dos pavilhões industriais mandados construir pela Wuhan Industries, na Zona Industrial de Loureiro, num investimento que rondou os 13,7 milhões de euros, mas que tem estado parado no tempo (conhecido vulgarmente pela população oliveirense como o “pavilhão chinês”).

Publicidade

O grupo empresarial liderado por Fernando Pinto Teixeira adquiriu o direito de preferência junto da empresa chinesa, e a negociação já pode ser formalizada e tornado pública uma vez que o executivo camarário autorizou, na última reunião de executivo camarário, “a transmissão da propriedade dos dez lotes e benfeitorias associadas, que a empresa Wuhan Industries detém na Área de Acolhimento Empresarial de Ul/Loureiro (AAE), à empresa Ferpinta – Indústrias de Tubos de Aço de Fernando de Pinho Teixeira SA”.

O Azeméis.Net sabe que o empresário Carlos Teixeira, fundador e CEO da CHETO, teve um papel determinante na realização deste negócio. Aliás, foi este empresário oliveirense o principal impulsionador na captação de investimento chinês para a Zona Industrial de Loureiro, e também empenhou-se na resolução deste problema. Em entrevista recente à imprensa, Carlos Teixeira revelou esse mesmo empenhamento, afirmando mesmo que queria ver esta questão resolvida. E tudo aponta que isso mesmo aconteça durante os próximos tempos.

Uma feliz coincidência é o facto de aquele espaço industrial continuar a servir a área de negócio que foi inicialmente projetada. A Wuhan Industries foi o primeiro investimento chinês no município ligado à indústria do aço. Uma mudança de estratégia de investimento internacional por parte da empresa chinesa fez com que o pavilhão na Zona Industrial de Ul/Loureiro ficasse parado desde o início. Caso o negócio se concretize na plenitude o espaço ficará a cargo do Grupo Ferpinta que também tem no aço a sua principal fonte de negócio.

Publicidade

“Fica finalmente resolvido um problema antigo que limitava o funcionamento da Área de Acolhimento Empresarial de Ul/Loureiro”

A informação foi oficializada no site da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, e o presidente da autarquia oliveirense, Joaquim Jorge, considera que com esta transação, a efetuar por escritura de compra e venda, “fica finalmente resolvido um problema antigo que limitava o funcionamento da Área de Acolhimento Empresarial de Ul/Loureiro”.

No mesmo texto é explicada que “a autarquia oliveirense reconhece o interesse municipal do investimento da Ferpinta para a valorização da estrutura económica, social e empresarial do concelho”. E conclui: “A empresa Ferpinta é uma unidade do ramo da metalomecânica dedicada ao fabrico de tubos de aço e a aquisição do solo industrial na AAE vem reforçar o seu crescimento e o desenvolvimento industrial do concelho de Oliveira de Azeméis, fomentando a criação de emprego”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui