Terça-feira, 16 de Abril de 2024
Terça-feira, 16 de Abril de 2024

Proibição de novos alojamentos locais. “Acho profundamente errado”, diz presidente da câmara municipal de Oliveira de Azeméis

> O concelho de Oliveira de Azeméis faz parte do mapa de territórios onde passarão a ser proibidas as emissões de novas licenças.

Durante as primeiras sessões da Presidência Aberta levada a cabo pela câmara municipal de Oliveira de Azeméis, há indicações de que o futuro do concelho até 2035 passará por uma aposta no Turismo com a criação de novos alojamentos turísticos, tal como, por exemplo, está previsto, por exemplo, para a freguesia de São Martinho da Gândara. Mas há um dado que pode vir atrapalhar todo o processo. O primeiro-ministro, António Costa, anunciou em fevereiro a proibição das emissões de novas licenças de alojamento local, com exceção dos alojamentos rurais em concelhos do interior do país. O mapa já foi conhecido, e Oliveira de Azeméis é um dos concelhos onde passará a ser proibido a emissão de novas licenças para alojamentos locais quando a nova lei ficar efetiva com a publicação em Diário da República.

Ao azeméis.net o presidente da câmara municipal de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge, faz saber que considera “profundamente errado” esta medida no território oliveirense. “O alojamento local em termos da complexidade que traz para o problema habitacional é absolutamente residual no concelho de Oliveira de Azeméis”, afirma. “Consigo entender que o alojamento local em algumas cidades do nosso constitui efetivamente uma preocupação porque contribui para a desertificação de zonas centrais dessas cidades, mas no caso de Oliveira de Azeméis, ou de muitos territórios com as nossas características, ou de territórios onde o potencial turístico e o potencial cultural são a principal fonte de receitas, eu acho que é profundamente errado”, acrescenta.

Publicidade

+ Conheça a lista dos alojamentos locais no concelho de Oliveira de Azeméis

O edil oliveirense revela ao nosso jornal que já transmitiu ao Governo a sua posição: “Já tive oportunidade de dizer à tutela que essa medida não é impactante. Não é essa medida que resolve os problemas da habitação. Existem muitas outras respostas que podem ser criadas. Há territórios onde fará sentido fazermos uma pausa para avaliarmos, mas há territórios como de Oliveira de Azeméis e outros onde realmente não faz sentido rigorosamente nenhum, e portanto o governo tem que olhar para isto com toda a atenção”.

Há pouco mais de uma dezena de alojamento locais em Oliveira de Azeméis, e nenhum deles, diz Joaquim Jorge, é um problema para a habitação do concelho. “Não tenho dúvidas nenhumas que não é o alojamento local da Casa da Trapa ou da Adega da Tamanqueira, ou outros alojamentos locais que existem em Oliveira de Azeméis que contribuem para os problemas da habitação no nosso concelho ou na nossa região”, considera. E coloca por outro lado os benefícios efetivos deste tipo de negócios: “É muito importante para a reabilitação é muito importante para a promoção dos territórios e dentro da dos territórios é muito importante para a promoção da riqueza porque emprega pessoas e portanto cria dinâmicas junto da economia, junto de fornecedores que disponibilizam serviços desse alojamento local, e nós nos podemos esquecer dessa componente e dessa vertente que é muito importante“.

___
Veja as declarações do presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis em vídeo.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Leia também

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS