Sábado, 3 de Dezembro de 2022
Sábado, 3 de Dezembro de 2022
Publicidade

Miss Almeida é patrona da nova biblioteca do CLOA. A história de uma vida dedicada ao ensino

Publicidade

A biblioteca no novo espaço do Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis, instalado no edifício do antigo Centro de Saúde da cidade, tem Miss Almeida como patrona. É uma homenagem que a atual direção do CLOA, liderada por Paulo Fonseca, presta “pela dedicação e empenho de uma vida” ao instituto de línguas do concelho. “Foram décadas a ensinar milhares de crianças e adultos de Oliveira de Azeméis”, enfatiza Paulo Fonseca. Um pormenor: apesar de o dia de inauguração ter sido no dia 28 de junho, na placa identificativa com nome da patrona da biblioteca do CLOA está inscrito o dia 12 de maio, a primeira data pensada para esta inauguração por coincidir com o dia de aniversário da homenageada (completou o 91º aniversário).

Emocionada com o momento, Miss Almeida mostrou-se grata pela homenagem e fez um breve resumo sobre a sua vida dedicada ao ensino. No próximo mês de outubro completa 50 anos sobre o dia em que criou o Instituto Britânico de Oliveira de Azeméis, a primeira denominação da escola inglesa do concelho. “Dediquei o meu saber e a minha vida ao Instituto. Foi com muito gosto que fiz tudo ao longo da minha vida. Não fiz tudo sozinha. Fui um bocadinho corajosa, eu sei, no iniciar. Já existia cá o Instituto de Francês”, afirma Miss Almeida.

Publicidade

E se há atualmente um Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis deve-se ao facto de Miss Almeida ter olhado para o concelho com paixão. “Quando vim da Inglaterra fui dar aulas, por intermédio do Instituto Britânico do Porto, para um Instituto de São João da Madeira. E por muito respeito que eu tenha por São João da Madeira, até tenho lá família, eu pensei: ‘e Oliveira de Azeméis?’. Tenho de fazer alguma coisa por Oliveira de Azeméis. E foi assim que começou”, recorda.

O município de Oliveira de Azeméis foi parceiro início da caminhada de Miss Almeida. “Sem o auxílio da Câmara Municipal não era possível fazer o que fiz porque não tinha dinheiro para alugar umas instalações“, conta. E continua: “Nos primeiros anos eu fiz tudo sozinha, mas depois tive de pedir ajuda. Foi nessa altura chamei as minhas professorinhas. Tanto a Misso Gonçalves, como a Any, a Deolinda, foram minhas alunas antes de irem para a faculdade. Elas andaram no Instituto durante quatro ou cinco anos e depois foram, formaram-se, e eu sabia que elas é que me interessavam”.

Há uma particularidade na gestão de Miss Almeida. “Fiz sempre tudo com professoras do concelho, e que tinham sido alunas no Instituto”, conta.

Além de agradecer da placa com o seu nome à entrada da biblioteca, Miss Almeida enfatiza o facto de finalmente o Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis ter um espaço a que pode chamar de casa, recordando o momento de maior aflição que passou quando dirigia esta instituição. “Esta é a nossa casa, o meu instituto, eu até quero vir para aqui outra vez… isto está tão bonito que apetece voltar. Eu posso ficar descansada agora porque o Centro de Línguas tem casa própria. Uma vez já ficámos sem casa e foi muito triste. Ficámos sem ter para onde ir. Foi por isso que em emergência, o falecido presidente Ramiro Alegria colocou-nos no Centro Comercial Raínha, porque não havia outro espaço, e por lá ficámos durante bastantes anos”, recorda.

Ao final de uma vida dedicada ao ensino da língua inglesa, Miss Almeida diz que a sua satisfação reside no facto de “as pessoas reconhecerem aquilo que fiz por elas”.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Relacionados

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS