Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024
Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024

Faleceu o reputado médico-cirurgião Fernando Portal. Era natural de Cesar.

Fernando Portal, à direita, numa visita ao "seu" Hospital de São João da Madeira em março de 2018
Fernando Portal, à direita, numa visita ao "seu" Hospital de São João da Madeira em março de 2018

Faleceu no início da semana – segunda-feira, dia 7 de junho, aos 80 anos, o médico-cirurgião, Fernando Portal, natural de Cesar, e que estava aposentado desde o ano de 2008, coincidindo com a altura em que o hospital de São João da Madeira, do qual foi diretor, deixou de ter Serviço de Urgência Médico Cirúrgica e passou a ter uma Consulta Aberta de Medicina Familiar.

Apesar de ser natural do concelho de Oliveira de Azeméis, a vida do reputado cirurgião Fernando Portal foi sempre entre a cidade do Porto e São João da Madeira. Estudou no Colégio Castilho, em São João da Madeira, seguindo-se a frequência no liceu Alexandre Herculano, no Porto, e Faculdade de Medicina do Porto, tendo depôs concluído a especialidade no Hospital de Santo António, também na cidade Invicta.

Publicidade

Serviu a sociedade sanjoanense como presidente da Assembleia Municipal de São João da Madeira, pelo PSD, nas eleições Autárquicas de 2001, quando a Câmara Municipal da cidade foi dirigida por Castro Almeida, tendo ocupado o cargo durante três mandatos consecutivos, até 2013. Mais recentemente, Fernando Portal era um dos vice-presidentes da Associação Humanitária de São João da Madeira.

Médico reconhecido pelos pares

Em nota enviada às redações, a direção do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV) sublinhou que Fernando Portal foi um “médico reconhecido pelos pares, com uma marcante passagem pela gestão hospitalar, quando liderou com mérito o Hospital de S. João da Madeira ainda antes da respectiva integração no Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga“, tendo sido também “uma figura incontornável da saúde no seu concelho de S. João da Madeira e de toda esta região”.

Na hora da sua partida, o CHEDV quis prestar a “justa homenagem ao seu trabalho, à dedicação que sempre teve com os seus doentes e à forma apaixonada e determinada como sempre lutou pela valorização do SNS”.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Leia também

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS