Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2023
Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2023

Faleceu o primeiro presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis

Executivo camarário sublinha "momento difícil" pelo falecimento de Licínio Vieira Dias, e Comissão Política do PSD lembra os momentos marcantes do primeiro edil oliveirense eleito democraticamente.
Publicidade

Faleceu o eng.º Licínio Vieira Dias, o primeiro presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. Natural de Vale de Cambra, Licínio Vieira Dias licenciou-se em engenharia, em 1966, tendo integrado a Comissão Administrativa que dirigiu a Câmara Municipal entre 1974, após o 25 de Abril, e a realização de eleições livres em 1976, ano em que se torna no primeiro Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis eleito pelo PPD em eleições livres.

“Com o falecimento do engº Licínio Vieira Dias, antigo presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, a comunidade oliveirense vê desaparecer uma figura de referência que, enquanto autarca, dedicou parte da sua vida à causa pública e à defesa dos reais interesses do concelho”, escreveu o atual presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge, numa nota de pesar publicada nas redes sociais da autarquia.

Publicidade

“Este é um momento difícil, mas também a oportunidade de expressarmos a nossa gratidão pelo trabalho que o engº Licínio Vieira Dias legou aos oliveirenses abrindo e apontando caminhos de desenvolvimento para o município”, pode-se ler na mesma missiva. A bandeira do município encontra-se a meia-haste.

O atual executivo camarário destaca alguns acontecimentos marcantes do primeiro presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis dando como exemplo “a organização dos serviços técnicos da autarquia e dos serviços municipalizados, importantes medidas no campo urbanístico, social e ao nível das infraestruturas básicas”.

Publicidade

O Partido Social Democrata de Oliveira de Azeméis também lamentou “profundamente o falecimento do Engº Licinio Vieira Dias” nas redes sociais, e do seu trabalho enquanto autarca destaca “a defesa e luta contra o encerramento do Hospital de Oliveira de Azeméis, a aquisição da Casa do Mateiro, usualmente conhecida como a casa das escadas redondas, a aquisição de terrenos para a criação de uma zona escolar e desportiva em Oliveira de Azeméis, assim como para o novo mercado e largo do Gemini com vista à criação de uma biblioteca e área de lazer na sequência disso foram cedidos à União Desportiva Oliveirense os terrenos para a construção do pavilhão gimnodesportivo”.

A vida política de Lucínio Vieira Dias está descrita na obra “Partido Social Democrata – Oliveira de Azeméis, Apontamentos de 40 Anos de História”.

No trabalho na política de habitação social “que havia sido já uma preocupação da Comissão Administrativa que comprou a quinta de Lações e adquiriu alguns pré-fabricados”, Licínio Vieira Dias prosseguiu o trabalho “com a elaboração do projeto de urbanização para a mesma, tendo sido iniciada a construção dos dois primeiros blocos habitacionais”.

Já no âmbito cultural, “pode salientar-se o apoio dado às comemorações do Ano Internacional da Criança com a realização de várias atividades, às comemorações do cinquentenário da Selva, à realização de exposições no Salão Nobre da Câmara que pretendiam servir de base à criação um museu alusivo à história local e de diversos espetáculos dos quais podemos destacar uma atuação da ópera do Teatro Nacional de S.Carlos, no cineteatro Caracas”.

“Pertenceu ainda à Cooperativa de S. Miguel, entidade responsável pela elaboração do projeto e construção da estalagem com o mesmo nome, da qual foi Presidente do Conselho de Administração”, refere a mesma obra.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Uma resposta

  1. Sentidos pêsames a toda a família. Convivi com o Licínio e o seu irmão, também já falecido, nos meus tempos de juventude. Depois, cada um de nós procurou o seu rumo e se a memória não me atraiçoa, já eu estava em Abrantes, ainda me encontrei com o Licínio que cumpria o serviço militar julgo que em Santa Margarida. A vida é sempre dolorosa quando, sobretudo, somos confrontados com a sua antítese. A morte. A todos os seus transmito, e renovo, as minhas condolências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

LEIA TAMBÉM

Relacionados

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS