Sábado, 3 de Dezembro de 2022
Sábado, 3 de Dezembro de 2022
Publicidade

“Deve ser estudada uma acessibilidade ao parque a partir do IC2”

Manuel Alberto Pereira, presidente da maior União de Freguesias do concelho
Manuel Alberto Pereira, presidente da maior União de Freguesias do concelho
Publicidade

“Este parque tem potencialidades enormíssimas. É uma escola de vida. Temos aqui sequoias com mais de 100 anos. Temos o Vale Antuã, com índice de poluição ainda baixo quando comparando com outras realidades do concelho”, considera Manuel Alberto Pereira.

No seu primeiro mandato enquanto presidente da maior União de Freguesias do concelho, Manuel Alberto Pereira   comprometeu-se com a limpeza do lago do Parque. E esse já foi feito. “O lago era o lugar do parque com maior impacto negativo. Foi intervencionado em 2018 e a Junta de Freguesia teve um papel muito ativo. Atualmente o Lago não está sujo. É um ecossistema artificial e que tem seres vivos que são visíveis. Aquilo verde que vemos no lago são algas, servem alimento a seres vivos, e estão são alimentos aos peixes.  Portanto, a água não pode ser límpida. Não podemos fazer limpezas todos os anos sob o risco de desequilibrar o ecossistema”, justifica o autarca.

Publicidade

Não sendo promessas, Manuel Alberto Pereira tem já uma lista de intenções sobre o Parque de La Salette. “Pretendemos fazer a remoção das infestantes da encosta do nosso Parque que é muito bonita. Vê-se acácias e austrálias, plantas que impedem que outras plantas se desenvolvam”, contacta.

As acessibilidades ao parque é outro dos temas que está na agenda do presidente da maior União de Freguesias do concelho. Já estava quando foi eleito para o seu primeiro mandato, em 2017, mas admite que não conseguiu cumprir este seu desejo. Por isso, volta a falar no mesmo assunto. E partilha as suas ideias. “Tem de haver uma acessibilidade direta. Tem de se estudar a criação de um corredor mais direto. Deve ser estudada a acessibilidade ao parque a partir do IC2. Não tenho respostas para dizer como. Os políticos devem apontar caminhos, depois os técnicos estudam as melhores soluções”, enumera.  

Nesta conversa com o Azeméis.Net, Manuel Alberto Pereira falou ainda sobre a importância de aposta do turismo religioso, sendo este um importante passo para a captação de visitas de forasteiros.  “No passado havia muita gente a viajar pela Estrada Nacional 1 e que tinha paragem obrigatória no Parque. Agora com o IC2 é mais difícil. Há uma estratégia simples que pode ser usada: colocar um outdoor no IC2 com a imagem de Nossa Senhora de La Salette e a indicar qual o melhor caminho para chegar lá”, conclui.

As recordações de infância do Parque de La Salette

Manuel Alberto Pereira desfila as memórias que tem da sua ligação ao Parque de La Salette. “Lembro-me de vir as Festas de La Salette com os meus pais ainda muito novinho, de merendar no parque, ver as procissões. Como estudante vinha para a piscina, e lembro-me de virmos para passar o tempo”, afirma. Sobre Nossa Senhora de La Salette, o autarca diz que é uma figura que tem o seu respeito, mas assume que não tem uma devoção.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Relacionados

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS