Quais os grandes embates e o que pode acontecer na noite do próximo domingo

As nossas atenções estão viradas a União de Freguesias do Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, para a maior União de Freguesias do concelho, e para a freguesia de São Roque.

1

As eleições autárquicas de 2021 trazem a novidade da candidatura do Chega. E ao contrário do que aconteceu há quatro anos com o aparecimento do movimento independente 19 Freguesias, Um Só Coração, que obteve um resultado pouco expressivo, a estreia do Chega no concelho de Oliveira de Azeméis veio baralhar as contas. E o partido poderá beneficiado pela realidade política atual na União de Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz. Os partidos de poder optaram por não apresentar candidatura. O PS declarou o apoio à lista independente liderada por Susana Mortágua, e esta realidade criou descontentamento nos simpatizantes socialistas, o que poderá levar a um voto de protesto noutra força partidária (Bloco de Esquerda, CDU ou Chega). Do lado da coligação do PSD/CDS-PP há o descontentamento da forma como Susana Mortágua conduziu o processo da sua candidatura, e também poderão optar pelo voto de protesto. Este cenário leva a que a candidata da lista “Juntos Pela Nossa União” possa perder a maioria absoluta nas próximas eleições autárquicas.

Publicidade

Os grandes embates nestas eleições autárquicas no concelho de Oliveira de Azeméis serão protagonizados na freguesia de São Roque e na maior União Freguesias do concelho. Em São Roque haverá forçosamente um novo presidente de Junta de Freguesia, com a saída de Amaro Simões, que é agora candidato à Assembleia Municipal de Oliveira de Azeméis. Nuno Pires é recandidato pela coligação PSD/CDS-PP, e Vítor Andrade candidata-se pelo PS, tendo feito parte da equipa de Amaro Simões. Só existem estas duas candidaturas e o resultado é imprevisível. Na União de Freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madaíl, o embate também se advinha acesso. Há quatro anos, Manuel Alberto Pereira, do PS, surpreendeu ao roubar a presidência ao PSD, no confronto que teve com António Rosa. Este ano volta a encontrar pelo caminho um vereador social-democrata no município oliveirense, Rui Lopes. Ninguém consegue antecipar se haverá ou não nova alternância no poder, nem muito menos se haverá outra vez maioria absoluta de algum dos partidos de poder.

As eleições na União de Freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo também merecem atenção especial. O atual presidente, Manuel Rebelo, eleito há quatro anos, não apresentou candidatura, e o PS escolheu Gaspar Almeida, um candidato forte que poderá protagonizar uma nova mudança nesta união de freguesias. Em Carregosa também haverá obrigatoriamente um novo presidente de Junta de Freguesia. Este é um

Quanto à Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, o favoritismo encontra-se do lado do atual presidente Joaquim Jorge. Mas há contas que poderão ser feitas. O candidato do PS verá verdadeiramente o seu trabalho escrutinado nas urnas. Há quatro anos venceu confortavelmente com uma diferença de 3812 votos sobre o candidato do PSD, Ricardo Tavares. Os sociais-democratas perderam 2016 votos, a abstenção diminuiu ligeiramente, houve mais 1469 votantes em 2017 quando comparado com 2013. E ainda houve um deslocamento de votos do CDS-PP e da CDU (que perdeu o estatuto de quarta força partidária) para o PS. Assim se justifica a maioria do Partido Socialista há quatro anos. Houve uma clara vontade de mudança por parte dos oliveirenses. A questão que se coloca neste momento é se o PS continuará a ter maioria absoluta no município oliveirense.

Os sinais indicam uma grande confiança por parte do PS a nível nacional no bom resultado do partido nesta autarquia. Durante a pré-campanha e campanha eleitoral passaram por Oliveira de Azeméis Rui Rio e Francisco Rodrigues dos Santos, presidentes do PSD e CDS-PP, respetivamente, e também de Luis Montenegro e Paulo Rangel, apontados como putativos candidatos às eleições internas do PSD no início de 2022. Do PS nacional não apareceu ninguém, contrariamente do que aconteceu há quatro anos, emq que se registou a presença de Augusto Santos Silva e do presidente do partido, António Costa.

Analisemos agora aquilo que pode acontecer na eleição à Assembleia Municipal. A coligação PSD/CDS-PP não apresentou candidatura a quatro das 12 freguesias do concelho de Oliveira de Azeméis, e esta decisão poderá ter comprometido as aspirações da candidatura de Pinto Moreira na conquista da Assembleia Municipal. Mesmo que possa ter o objetivo de vencer em número de votos o órgão deliberativo do concelho, a falta de quórum nos lugares destinados aos presidentes de Junta de Freguesia poderá deitar tudo a perder.

Outros apontamentos. A coligação PSD/CDS-PP não se candidatou em Fajões (o PSD só perdeu as eleições de há quatro anos nesta freguesia), e assim é muito provável que Óscar Teixeira, do PS, que tem apenas a concorrência da CDU, através da candidatura de António Rocha. Por fim destacamos também a eleição em Macieira de Sarnes. Florbela Silva parte como favorita para a liderança da Junta de Freguesia, mas o PS apostou também forte com a apresentação de Filipe Marques, empresário e ex-presidente do FC Macieira de Sarnes.

AZEMÉIS.NET é o jornal online de Oliveira de Azeméis (criado em agosto de 2019) pensado em promover o que de melhor se faz no concelho. É um projeto que olha para o território, e a nossa gente, pela positiva e que quer puxar pelo orgulho oliveirense. Procuraremos ser a pegada digital para demonstrar que Azeméis é realmente vida... e que somos vivos!

1 COMENTÁRIO

  1. Parece-me que o texto ficou cortado na parte de Carregosa. Nada fora do normal. O Nordeste do concelho já está habituado. Como diz o título, as atenções são outras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui