Ana Gabriela Silva foi a aluna que entrou com a nota mais alta na Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa

O Azeméis.Net conheceu aluna que teve o acesso à Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa com a melhor média, e tentou perceber o que a motivou escolher esta instituição escolar do concelho de Oliveira de Azeméis, bem como as suas perspetivas para o futuro.

0
Ana Gabriela Silva teve uma média de acesso de 17,4 valores

Tem 20 anos, é oriunda de São João de Ver, e concluiu o ensino secundário na Escola Secundária de Santa Maria da Feira, onde concluiu o curso profissional de Técnico Auxiliar de Saúde com uma média de 17,4 valores. A Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa esteve no topo das preferências da jovem Ana Gabriela Silva quando se decidiu pelo acesso ao ensino superior por uma razão de logística: “Fico perto de casa e consigo gerir melhor o meu horário e futuros estágios com o meu trabalho”.

As referências das pessoas que lhe são próximas em termos profissionais também tiveram peso na sua decisão. “Já conhecia a instituição pois trabalho com profissionais que foram estudantes aqui da ESSNorteCVP. Estes foram boas referências o que me ajudou também a escolher esta instituição”.

Ana Gabriela Silva também sempre teve decidida sobre o curso que queria seguir no ensino superior: “Escolhi o curso de enfermagem pois foi sempre um sonho meu poder ajudar e cuidar dos outro”. O objetivo é claro: exercer a profissão em Portugal. “As minhas perspetivas e objetivos em relação ao meu futuro profissional são concluir o curso e trabalhar como enfermeira aqui em Portugal como sempre sonhei”, diz.

Devido à proximidade geográfica entre Oliveira de Azeméis e São João de Vêr, a jovem estudante preferiu continuar a viver na sua localidade. E por causa do vírus pandémico de 2020, Ana Gabriela Silva ainda não teve tempo de se ambientar à cidade a 100%. “Já conhecia a cidade, mas ainda me estou a ambientar pois as aulas são online com exceção das aulas práticas e avaliações, o que não me permitiu ainda visitar tantas vezes a cidade”, revela.

Já no final da conversa com o Azeméis.Net recorda o nervosismo das primeiras aulas. “O meu primeiro dia de aulas deixou-me nervosa como era expectável mas correu tudo bem. A relação entre turma foi melhorando, pois aos poucos estamos a conhecer-nos apesar destas limitações que a pandemia veio trazer”, comenta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui