Domingo, 2 de Outubro de 2022
Domingo, 2 de Outubro de 2022
Publicidade

Empresas do concelho vão pagar tarifa pelo volume de descargas que fazem

A Quercus de Aveiro denunciou mais uma vez que ETAR de Ossela não cumpre com a legislação aplicável, e adianta também que por enquanto se desconhecem os resultados dos processos das 51 vistorias anunciadas pela Associação de Municípios, e que não se aplicaram as sanções previstas no Decreto-Lei 236/98. O Azeméis.Net questionou o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge. Apesar de não ter respostas sobre a aplicação de coimas, anunciou uma novidade.

Publicidade

Está neste momento em estudo a instalação de caudalímetros nas unidades industriais do concelho de Oliveira de Azeméis de maneira que haja uma medição real do caudal à saída das fábricas de forma a que haja equidade entre o valor pago por todas as empresas. “Outra coisa que é muito importante é nos eventualmente começarmos é criarmos condições para que quem produz mais águas residuais, pague mais, porque nós temos muitos casos em que as águas residuais entregues pelas unidades industriais são em grande quantidade, mas porque têm sistemas de captação de água própria, aquilo que pagam pelo tratamento de égua residuais que fazem é praticamente nada”, anuncia o presidente da autarquia ao Azeméis.Net.

Veja as declarações do presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis ao Azeméis.Net na íntegra no vídeo que se segue:

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Relacionados

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS