Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024
Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024

A Grande Rota de Oliveira de Azeméis com cerca de 100 km está quase concluída

> Natureza. Há muita beleza natural escondida no concelho. Neste ano de 2023 haverá rotas para (re)descobrir Oliveira de Azeméis no meio da Natureza. E há pontos imperdíveis.

Depois dos “Trilhos do Comandante”, em 2020, e do trajeto “Um Rio, Muitos Moinhos”, em 2021, a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, através do seu Centro Municipal Marcha e Corrida de Oliveira de Azeméis, prepara-se para, em 2023, apresentar mais trajetos que irão compor a “Grande Rota de Oliveira de Azeméis” com 100 quilómetros de extensão, a ser apresentado no próximo ano.

O primeiro esboço já foi revelado a  cerca de vinte entidades públicas e particulares, representadas por sessenta elementos, em reunião realizada no dia 17 de setembro na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro.

Publicidade

Terminou no último dia de 2022, o prazo de apresentação de sugestões ao Centro Municipal de Marcha e Corrida de Oliveira de Azeméis. Mas já há informações concretas sobre os novos trilhos. Contamos-lhe a seguir o que poderá ver nas etapas n.º2 e n.º 3 da grande rota.

A terceira etapa 

A etapa número três, por exemplo, ligará  as freguesias de Ossela e Carregosa, e promete ser uma das mais concorridas, por todas as sensações transmitidas.

 “Esta etapa é uma condução pelo Vale do Rio Caima, passando pela casa onde nasceu o escritor Ferreira de Castro. Aí chegados o caminhante iniciará a subida dos montes divisórios com Vale de Cambra, na zona de Vermoim. Montes cujas cristas nos oferecem uma vista de varanda privilegiada para a cidade de Vale de Cambra e Serra da Freita, e para poente para a Ria de Aveiro e Oceano Atlântico. Aí chegados a rota seguirá para Norte até atingir o Monte do Pereiro, local ainda conhecido pelo Miradouro das Setes Cidades. Posteriormente a rota descerá o monte entrando no incrível Rio Antuã, também conhecido por Ínsua, dando a conhecer as suas quedas de água, e Moinhos da Fábrica de Papel do Pombarinho, há muito abandonada. Continuando para montante do rio, a etapa irá terminar na secular Quinta da Costeira em Carregosa. Quinta que oferece aos interessados, a possibilidade de visita, com prévia marcação, aos jardins e magnifica capela centenária”, pode-se ler na página oficial do Centro Municipal de Marcha e Corrida de Oliveira de Azeméis. 

A segunda etapa

Já a etapa número dois, que liga Pinheiro da Bemposta a Ossela promete vistas de cortar a respiração, e que poderão ser novidade para muitos oliveirenses. “Etapa que nos transporta ao magnífico Vale do Rio Caima em Ossela, não sem antes nos transportar ao século XVII, no Solar da Fonte Chã, calçada centenária de Palmaz, ao frondoso bosque do Hotel Rural Vale do Rio, com a subida mais extensa do percurso que nos transportará ao ponto de maior altitude do concelho, a Pedra Aguda, fronteira com a freguesia de São Pedro de Castelões, Vale de Cambra, com a sua cota de 640 metros e de onde se avista uma panorâmica de 360º desde a Serra da Boa Viagem na Figueira da Foz, a toda a faixa litoral  até à zona de Gaia e interior para a Serra de Montemuro, Freita, Arestal, Caramulo, Buçaco, e outras. A partir daqui iniciar-se a descida para Ossela, sempre junto à fronteira com o concelho de Vale de Cambra, pelo caminho dos Almocreves, chegando ao lugar de Mosteiro, terra da Igreja Velha de Ferreira de Castro, onde terminará a etapa”, pode-se ler na página do organismo público que está a dinamizar este projeto, até agora, único no concelho de Oliveira de Azeméis. 

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Leia também

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS