Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024
Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024

Tenhamos memória, e sejamos gratos

> Para mim é incompreensível como é que Isabel Maria Calejo não se encontra na primeira lista de nomeados do Prémio Cidadania de Oliveira de Azeméis.

Foram revelados os nomeados para a primeira edição do Prémio Cidadania de Oliveira de Azeméis, tema que damos conta na edição deste mês do jornal azeméis.net. Esta é uma iniciativa louvável por parte da Assembleia Municipal. Perpetuará o nome de muitas individualidades oliveirenses ao longo dos próximos tempos. Contudo, ao analisar a lista apresentada, soube-me a pouco. Concordo com a ideia da homenagem, mas não com o conteúdo, e, principalmente com falta de memória.

Não serei a pessoa do concelho com mais memória e vivência, mas há nomes no concelho de Oliveira de Azeméis que são incontornáveis, e que deveriam estar no topo dos nossos pensamentos. Só basta que tenhamos a gratidão como base de todo o nosso pensamento.

Para mim é incompreensível como é que Isabel Maria Calejo não se encontra nesta primeira lista de nomeados. Deveria ser um nome a estar na ponta da língua. Todas as homenagens são poucas para agradecer o que fez pelo concelho. A “senhora folclore” faleceu em agosto de 2019, e desde aí, que eu me recorde, foi alvo de uma homenagem a título póstumo em julho do ano passado, organizado pelo Grupo Folclórico de Cidacos, e já foi aprovado pelo executivo municipal a atribuição do seu nome a uma artéria da cidade, mas esta intenção ainda não saiu do papel.

Há uma outra figura que merecia constar nesta lista: o professor António Magalhães. Foi, na verdade, o meu primeiro diretor aquando a minha passagem pelo jornal Correio de Azeméis.  Para ele seria só mais um miúdo que se queria entreter no jornalismo, para mim o professor passou a ser uma referência. Quando ele aparecia pela redação, geralmente todos os dias da parte da tarde, fazia os possíveis para estar entre as conversas dos adultos. É uma biblioteca viva do concelho. 

Mais tarde apercebi-me que a sua dimensão humana ia para muito além do jornal. Fez tudo pelo Lar Pinto Carvalho. Ficou-se a dever ele a mudança para as novas instalações. Lutou sempre pelo conforto das crianças mais desprotegidas. A Presidência da República deve-lhe uma Comenda, Oliveira de Azeméis deve-lhe uma séria homenagem, e o júri do Prémio Cidadania deve-lhe pelo menos a nomeação para a próxima edição. 

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Uma resposta

  1. É pena mas falta muitos mais Ramiro Alegria, doutor Fernando, doutor Machado entre outras pessoas influentes para o crescimento de Oliveira de Azeméis

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Leia também

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS