Segunda-feira, 4 de Março de 2024
Segunda-feira, 4 de Março de 2024

Ricardo Chéu após a derrota (1-2) contra o SCU Torreense: “Fomos empurrados [para a derrota] do primeiro ao último minuto”

O treinador da UD Oliveirense volta a criticar a arbitragem (Vítor Ferreira, da AF Braga, foi o homem do apito), e queixa-se de uma grande penalidade por assinalar a favor da equipa de Oliveira de Azeméis.
Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Publicidade
Publicidade

2 respostas

  1. A verdade é esta: o clube de futebol mais importante de Oliveira de Azemeis (União Desportiva Oliveirense) deixou de existir tal como eu o conheci há muitas décadas, para passar a ser gerido por uma pequena SAD, com capital japonês, que aposta em investir pouco a curto e a médio prazo. Eu nem digo a longo prazo porque, nos dias de hoje, até nos grandes clubes, o longo prazo é coisa que pouco acontece uma vez que os jogadores são assediados por outros clubes, que lhes oferecem melhores condições e são contratados ainda antes dos seus contratos acabarem, saindo até a custo zero! É lamentável quando tal acontece mas a verdade é que o atleta tem o direito de tratar da sua vida enquanto puder jogar futebol já que o tempo que tem para fazer é relativamente curto!

    Esta é uma nova forma de vida chamada “desportiva”, que eu considero mais um negócio, onde o desporto já não existe, tal como eu conheci e pratiquei há muitas décadas, mas sim um tipo de espetáculo que, infelizmente, não é nada digno de ser apreciado pelos sócios e adeptos do clube devido às muitas vicissitudes que giram ao seu redor e que lhes retiram toda a verdade desportiva.

    Tudo isto se resume a uma situaçao deveras lamentável e triste (SAD em inglês) por muito que agrade a uma Sociedade Anónima Desportiva (SAD) tão em voga nas várias atividades chamadas desportivas (futebol em particular) espalhadas em Portugal e por esse mundo fora.

    No caso específico da SAD do UDO, devido à sua falta de capital para efetuar bons investimentos, a médio prazo, em equipas técnicas e atletas já experientes nas principais ligas profissionais portuguesas (não excluindo os bons olheiros, que são importantes na descoberta de jovens praticantes com enorme margem de progressão), o clube jamais deixará de ser um pobre participante na II liga, que luta aflitivamente para não descer para a liga 3, passando a atribuir a tudo e mais alguma coisa (menos a quem deve) a falta de vitórias no relvado onde tudo se resolve e acontece durante o jogo.

    Oxalá o União Desportiva Oliveirense (SAD) saiba arrepiar caminho, ponha a sua “mão” na consciência e resolva fazer mais e muito melhor para que o clube possa ser um digno representante do verdadeiro desporto na cidade e no concelho de Oliveira de Azemeis.

    Estes são os meus verdadeiros sentimentos e desejos sinceros.

  2. Quando um treinador não assume a sua incompetência, arranja sempre um bode expiratório. O árbitro não foi grande coisa, mas a Oliveirense tb não fez um jogo por aí além como diz o Ricardo Chéu. Prevejo tempos complicados.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Relacionados

Os melhores exclusivos

No posts found

Os mais populares