Terça-feira, 4 de Outubro de 2022
Terça-feira, 4 de Outubro de 2022
Publicidade

Mercado à Moda Antiga: FAMOA critica falta de tempo e de planeamento por parte da autarquia

Francisco Silva, presidente da FAMOA, relata os bastidores da reunião mantida entre a autarquia e as associações que levou ao adiamento da edição de 2022 do Mercado à Moda Antiga, vinca as condicionantes apresentadas que assustam as associações, e sublinha essencialmente a falta de planeamento por parte da autarquia.
Publicidade

Como é de conhecimento público, e já anunciado pela Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, a edição de 2022 do Mercado à Moda Antiga (MMA) não se irá realizar. Em comunicado, a autarquia explicou que aquele que é o maior evento cultural do concelho não ira ser realizado pelo terceiro ano consecutivo por uma decisão da maioria das associações presentes na reunião convocada pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis no início do mês de março.

Publicidade

Esta semana a FAMOA (Federação das Associações do Município de Oliveira de Azeméis) respondeu às questões colocadas pelo Azeméis.Net, em que pedia uma reação deste organismo a decisão de o Mercado à Moda Antiga não se realizar pelo terceiro ano consecutivo, e que impacto esta decisão poderia ter na vida das Associações. A direção da FAMOA começou por esclarecer que o MMA é uma organização da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, descartando a responsabilidade das associações nesta decisão.

“O Mercado à Moda Antiga é um evento da organização da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, evento no qual a FAMOA tem tido o papel de parceira direta desde o ano de 2014, com as áreas de intervenção e responsabilidade no merchandising oficial do evento bem como na organização da área dos jogos tradicionais”, afirma.

O líder associativo relata cronologicamente os bastidores da reunião que levou à decisão do adiamento para 2023 da organização do MMA: “Relativamente ao ano de 2022, a FAMOA foi convocada através de e-mail dos serviços da Câmara Municipal, enviado no final dia 28 de fevereiro, segunda- feira véspera de tolerância de ponto do Carnaval, para uma reunião com o tema Mercado à Moda Antiga, a realizar no dia 4 de março, sexta-feira dessa mesma semana. Tratando-se da única comunicação até à data sobre este evento, a FAMOA envidou todos os esforços junto da Câmara Municipal para perceber qual a intenção da reunião para que a convocatória às nossas filiadas, conforme solicitado pela Câmara Municipal, pudesse seguir instruída da forma mais completa. Compreendendo que o meio associativo é, na sua generalidade, composta por pessoas voluntárias que têm os seus trabalhos e ocupações normais em horário de expediente, consideramos que o timing e a informação disponibilizada para a convocatória mostraram-se, desde logo, extremamente curtos para o resultado da maior presença e melhor participação das associações para o fim proposto. Ainda assim, tendo presente o reforço de convocatória e acompanhamento efetuado, as filiadas responderam em número considerável à reunião”.

E continua, dando a entender que a FAMOA foi apanhada de surpresa, e sem tempo de discutir com os seus associados, a realidade apresentada pelo município. “Importa salientar que a FAMOA teve conhecimento do teor dos assuntos debatidos na reunião ao mesmo tempo que qualquer uma das coletividades presentes e que, naturalmente representada pelos seus órgãos sociais, foi ouvida como as demais associações presentes. Na reunião promovida a 4 de março pela Câmara Municipal relacionada com o Mercado à Moda Antiga, quando questionada a Câmara Municipal sobre quais as limitações existentes à data, foi apresentado um conjunto de recomendações para a realização do evento, identificadas como oriundas de um documento emitido à data pela Delegação de Saúde territorialmente competente, das quais se destacaram o uso de máscara como elemento obrigatório para os participantes, a recomendação de utilização de louças e talheres descartáveis, sendo estas resultantes do estado pandémico. Foi apresentado também um conjunto de outras recomendações decorrentes das boas práticas de Higiene e Segurança Alimentar, das quais algumas já vêm sendo cumpridas já ao longo de alguns anos a esta parte”, explica.

Associações assustadas perante as restrições apresentadas que… mudaram uma semana depois

“Perante estas recomendações, após troca de considerações entre as associações presentes e a entidade organizadora, tratando-se de um evento de recriação histórica, foi entendido pela maioria não haver condições para a realização, uma vez que se acontecesse sob as recomendações apresentadas, desvirtuaria claramente o princípio da recriação para a qual a comunidade associativa tem participado de forma afincada ao longo dos mais de 20 anos de vida do evento, para além do facto de que algumas das recomendações apresentadas, obrigariam a um forte investimento das associações participantes num curto espaço de tempo”, argumenta Francisco Silva.

A verdade é que também, faz notar o líder associativo, as mesmas restrições deixaram de ser regra poucos dias depois, no anúncio feito pela Direção-Geral de Saúde.

Falta de tempo e planeamento

Na resposta dada pela FAMOA ao Azeméis.Net fica clara a crítica deste organismo à falta de tempo e planeamento da edição deste ano do Mercado à Moda Antiga. “Não podemos deixar de notar que o tempo que medeia a primeira abordagem e reunião sobre o evento e a data prevista de realização do mesmo, por norma em meados do mês de maio, associado à data de comemoração de elevação de Oliveira de Azeméis a cidade, conjugado com o grande número de participantes envolvidos de forma direta e indireta, nos parece ser claramente merecedor de um planeamento e envolvimento mais atempado e cuidado, com apresentação de novas soluções de melhoria contínua e de resposta às necessidades de participação neste evento que todos reconhecemos como uma bandeira cultural do município e da região”, afirma.

E continua: “Parece-nos manifestamente curto todo o procedimento, inclusivamente toda a instrução do mesmo, desde a articulação com os parceiros, bem como com todos os participantes. Mediante a forma como a realização ou não do Mercado à Moda Antiga foi apresentada às associações presentes, a FAMOA informou a entidade organizadora que somente poderia estar alinhada com o que a maioria das associações decidisse, sob o espírito da missão de congregação e promoção dos interesses do movimento associativo popular e das associações do município, conforme consagrado nos seus Estatutos”.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Relacionados

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS