Terça-feira, 21 de Maio de 2024
Terça-feira, 21 de Maio de 2024

Vale de Cambra e Santa Maria de Lamas recebem urgências aos sábados e domingos para aliviar Hospital de São Sebastião

> A escolha de um local ou outro é definida pelos serviços de referenciação consoante a morada do utente.

Os doentes urgentes que aos sábados, domingos e feriados sejam triados com pulseiras verdes ou azuis estão a ser atendidos em Santa Maria de Lamas e Vale de Cambra, em vez de no hospital de Santa Maria da Feira.

Segundo revelou hoje a administração da ULS do Entre Douro e Vouga , o objetivo é aliviar ao fim de semana a urgência do Hospital São Sebastião, em Santa Maria da Feira, que e serve cinco municípios, e deixá-la mais desimpedida para os casos que, entre os efetivamente urgentes, se revelem de maior gravidade segundo os critérios da Triagem de Manchester.

Publicidade

O grau de gravidade do doente continua a ser avaliado previamente pelos técnicos das linhas telefónicas SNS 24 ou 112, que desde 5 de março têm sempre que ser consultadas antes da deslocação à urgência do Hospital São Sebastião nos casos que não envolvam trauma grave como acidentes viários ou laborais, ataque cardíaco e agressão, ou doentes de particular risco como acamados e menores de um ano.

“Isto aplica-se apenas ao fim de semana e aos feriados”, realçou Miguel Paiva, presidente do conselho de administração da ULS do Entre Douro e Vouga, “mas há muita gente que ainda não está familiarizada com este procedimento e convém esclarecer a população para a eventualidade de poder ser encaminhada para Lamas ou Vale de Cambra”.

A escolha de um local ou outro é definida pelos serviços de referenciação consoante a morada do utente, já que Santa Maria de Lamas é uma freguesia do concelho da Feira, cerca de sete quilómetros a norte do hospital de São Sebastião, enquanto Vale de Cambra é um município que dista aproximadamente 20 quilómetros desse hospital, rumo a sul.

Num e noutro caso, os doentes com sintomas que justificam pulseira azul ou verde serão acolhidos pelas equipas do Serviço de Atendimento Complementar das duas referidas localidades e Miguel Paiva afirma que esses profissionais estão “totalmente aptos para lidar com esse tipo de urgência” e têm no local “tudo o que é necessário para acompanhar devidamente essas situações”.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Leia também

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS