Terça-feira, 16 de Julho de 2024
Terça-feira, 16 de Julho de 2024

Abertura de nova fábrica da Mitjavila em Vouzela apontada para o mês de outubro

> Luís Bastos, CEO da Mitjavila em Portugal, deu conta do ponto da situação do evoluir das obras da nova unidade fabril do grupo empresarial em Portugal.

No âmbito da visita de uma comitiva da Prefeitura Municipal de Camaçari a Oliveira de Azeméis, Luís Bastos, CEO da Mitjavila Portugal, que atualmente só tem presença na freguesia de Nogueira do Cravo, revelou que a nova unidade industrial do grupo empresarial em Vouzela estará a funcionar no próximo mês de outubro… um ano depois do inicialmente previsto. O empresário revelou no passado, ao azeméis.net, que a ideia inicial seria construir esta nova fábrica na Área de Acolhimento Empresarial de Ul/Loureiro, mas a falta de condições viárias aliadas ao preço dos terrenos, obrigaram a um plano B. 

Um poste de eletricidade fez com que toda a obra fosse atrasada, explica o empresário oliveirense que também controlará as operações da nova unidade fabril. Atualmente as obras estão a decorrer a bom ritmo, encontrando-se já na fase final, tal como demonstrou em imagens. Os equipamentos que irão ocupar o espaço também já se encontram em território vouzelense, estando à espera num pavilhão emprestado por uma empresa vizinha o final das obras para serem transportados para a nova fábrica.

Publicidade

O mês de outubro é mesmo o deadline para a Mitjavila ter tudo pronto para abertura. A construção da nova unidade abril está inserida numa candidatura ao Compete 2020, e foi o único projeto autorizado a alargar o prazo de finalização para setembro de 2023 devido às dificuldades encontradas no terreno para a conclusão do projeto.

Com esta nova unidade, a Mitjavila Portugal irá criar 50 postos de trabalho. “Irá apenas um trabalhador daqui de Oliveira de Azeméis para Vouzela. Os restantes trabalhadores serão contratados em Vouzela, havendo também alguns de Aveiro”, explica Luís Bastos.

Polo de Investigação em Vouzela

A Mitjavila Portugal está também atualmente a desenvolver uma candidatura programa de fundos comunitários Portugal 2030 com o objectivo de financiar a criação de um pólo de investigação que ficará sedeado na fábrica de Vouzela, mas que irá alimentar também a fábrica de Nogueira do Cravo, explica Luís Bastos. 

Os primeiros passos já foram desenvolvidos com a criação de parcerias com as universidades de Aveiro e o Porto. O objetivo será desenvolver produtos paralelos e sustentáveis. O acordo com a Universidade de Aveiro está mais centrado na Escola Superior Aveiro Norte que avançou no ano passado com o curso de Engenharia Aeroespacial. 

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

LEIA TAMBÉM

Leia também

+ Exclusivos

Os ARTIGOS MAIS VISTOS