Um Laboratório de Inovação Musical em plena cidade

Histórico. 400 músicos, seis bandas de música, seis freguesias, seis maestros, mas uma só alma. Foram estes os ingredientes para a concretização de um momento histórico.

0

Pela primeira vez as seis bandas de música do concelho de Oliveira de Azeméis tocaram em conjunto duas peças musicais. O momento foi proporcionado na quinta edição do Encontro de Bandas de Música de Oliveira de Azeméis, e o palco foi a Praça da Cidade.

Publicidade

As seis bandas surgiram de espaços diferentes, e cada uma trazia uma bandeira de diferentes nações: Inglaterra, Alemanha, França, Finlândia e Itália. Cada uma das bandas ocupou um lugar, formando aquilo que à primeira vista se assemelha a um pentágono em redor da Praça da Cidade, e tocaram duas obras em conjunto. A primeira foi a interpretação da versão de Veneza da obra Fresco, de Luca Francesconi.

Foi nessa altura em que a história começou. 400 músicos de seis bandas de música diferentes estavam, em uníssono, sob a orientação do maestro Bruno Costa, da Banda Musical de Fajões, a quem coube a organização do evento deste ano, e que quiseram fazer algo diferente. “Não quisemos ser melhores ou piores do que ninguém. Quisermos fazer algo diferente”, disse António Aguiar, presidente da Banda Musical de Fajões ao Azeméis.Net.

Seguiu-se “um momento de loucura”, em que os músicos passearam pelo meio do público e se juntaram em redor do maestro Bruno Costa, para que todos misturados começassem a tocar a segunda peça: In C, de Terry Riley, transmitindo uma sensação de união entre as bandas. O objetivo estava conseguido.

Rui Luzes Cabral, vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, apelidou a edição deste ano do Encontro de Bandas de Música de “laboratório de inovação musical”. E é mesmo a expressão que melhor descreve aquilo que se pôde assistir na tarde quente de 10 de junho, Dia de Portugal e das Comunidades.

400 músicos, 6 maestros, 6 freguesias, uma só alma. Foto: © Foto Cine-Diogo Reis

“ABRIU-SE AQUI UMA POSSIBILIDADE DE UMA NOVA ESTÉTICA MUSICAL”

No final do dia, o maestro Bruno Costa era um homem feliz. Com a sensação de dever cumprido. “Não foi uma tarefa fácil, porém tive uma aceitação muito positiva por parte dos meus colegas maestros. Tivemos momentos para discutir se o projeto seria viável. Desde o início que houve um querer fazer pelo facto de ser novidade”, afirma ao Azeméis.Net.

E o que sentiu ao ter ao seu comando 400 músicos, questionámos. “Senti muita responsabilidade. Era muita gente para coordenar para que o espetáculo funcionasse. Creio que o resultado foi fantástico para a cultura em Oliveira de Azeméis. Abriu-se aqui uma possibilidade de estética musical que espero que venha a ser repetido num futuro próximo”, respondeu o maestro.

 

O maestro Bruno Costa, da Banda Musica de FAjões, foi o maestro dos maestros neste V Encontro de Bandas de Música de Oliveira de Azeméis

___
As Bandas de Música

___
Quadro para a posterioridade.

A Banda Musical de Fajões perpetuou o V Encontro de Bandas de Música de Oliveira de Azeméis com um quadro onde se pode ver as seis bandas em frente à Câmara Municipal. 

*Este artigo faz parte da edição número 4 do jornal Azeméis.Net, já nas bancas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui